[ editar artigo]

Desafio de uma Inteligência Artificial Ética

Desafio de uma Inteligência Artificial Ética

Ao ouvirmos falar de Inteligência Artificial muitos de nós ainda remetemos ao que vemos nos cinemas e que ela ainda está distante da nossa realidade diária.

 

No entanto, ela já está muito presente no nosso dia a dia através de câmeras de segurança que se utilizam de IA para reconhecimento facial, assistentes domiciliares como a Alexa, aplicativos de trânsito que sugerem a melhor rota e esses são apenas alguns casos.

 

A IA nos traz esperanças para evoluirmos e democratizarmos cada vez mais os cuidados com a saúde ou que nos ajude a encontrar soluções para problemas sociais que afetam esse mundo cada vez mais desenvolvido, no entanto, temos também drones que usam IA como armas autônomas e que podem matar sem intervenção humana. Podem as máquinas assumirem o controle? A IA traz muitos benefícios, mas também levanta preocupações éticas.

 

Um exemplo são os carros autônomos que em uma situação específica precise tomar uma decisão onde uma pessoa irá perder a sua vida. Quais decisões de fato queremos ou estamos dispostos a delegar para os algoritmos de IA?

 

Essas questões éticas não possuem respostas fáceis e a responsabilidade está com os humanos e não com as máquinas. Muitas organizações e países estão se movimentando na definição de recomendações e direcionadores para uma IA Ética. No futuro podemos caminhar para regulações semelhantes ao que vimos sobre dados pessoais pelo mundo (LGPD no Brasil, GDPR na Europa, entre outros) que regulem a IA nas organizações e protejam as pessoas.

 

Por hora, contamos com a ética que hoje já norteiam as organizações e que as mesmas norteiem suas iniciativas em IA.

Futuro dos Negócios
Ler conteúdo completo
Indicados para você