[ editar artigo]

BIG DATA E ANALYTICS - RH ESTRATÉGICO

BIG DATA E ANALYTICS - RH ESTRATÉGICO

Segundo considerações do autor Andrew Mcafee e outros (2012) no artigo “Big data: the management revolution” publicado na edição de nº 10 da Revista Harvard Busuness, “dados” são uma coleção de símbolos ou figuras sem nenhum valor, mas após a sua interpretação com sabedoria eles adquirem o “poder” até de prever o futuro de uma empresa. Afirmam ainda os autores que existem diferenças importantes entre os três principais elementos encontrados no processamento de dados que, quando analisados, podem ser traduzidos em vantagem comercial (MCAFEE; et al, 2012, p. 64), que são:

“{...}volume, que a partir de 2012 passou a totalizar cerca de 2,5 exabytes de dados são criados a cada dia, podendo dobrar esse número a cada 40 meses, onde milhares de dados cruzam a internet a cada segundo, em quantidade muito maior do que em toda a internet há apenas 20 anos atrás; velocidade, o que para muitas aplicações é mais importante que o volume de informações em tempo real ou quase real, tornando possível para uma empresa ser muito mais ágil que os seus concorrentes; e variedade porque o Big Data pode assumir várias formas como de mensagens, atualizações, imagens postadas em redes sociais, etc., utilizadas na leituras de sensores, sinais de GPS de telefones celulares, e muitas outras {...}”.

O Big Data abriu as portas das empresas para que o People Analytics pudesse proporcionar à área de RH a oportunidade de um desenvolvimento com tecnologia e renovação na Gestão de Pessoas, independente do surgimento de alguns fatores controversos, que podem vir a impactar negativamente nos resultados. Portanto, o Big Data funciona como um Business Intelligence no RH das empresas, passando assim a ser denominado de People Analytics. Ele se resume em duas ações principais e simultâneas: pesquisa e processo analítico em uma grande quantidade de informações de pessoas dentro de uma organização, a fim de promover a gestão estratégica com base em dados objetivos (PAPE, 2016).

A Universidade Wharton, da Pensilvânia tem promovido conferências anuais com o tema People Analytics através de um programa experimental denominado de Highlights & Benefits. A Wharton People Analytics Conference de 2017 ocorreu na Índia, a HR Analytics India Summit (2017), onde profissionais do setor de RH de todo o mundo expressaram a necessidade de se utilizar a modalidade tecnológica do People Analytics como ferramenta de melhoria na Gestão de Pessoas. Esse programa propiciou a inauguração de uma nova academia em 2016, a “HR Analytics”, na Holanda, com foco em abordagens “avançadas” que mostrem o caminho para a implementação do People Analytics como uma prática rotineira do setor de RH.

Observa-se a tendência em investir na tecnologia como forma de tornar a área de Recursos Humanos estratégica para o negócio.

 

Indústria do Amanhã

Futuro dos Negócios
Roberto Bezerra Nobrega
Roberto Bezerra Nobrega Seguir

Engenheiro Industrial Mecânico, com Especialização em Administração da Produção, Mestrado em Administração na linha de Gestão da Inovação e Doutorando em Gestão de Pessoas na linha de People Analytics.

Ler conteúdo completo
Indicados para você